Notícias

Projeto de Ducci proíbe criação e oferta de cursos de Enfermagem a distância

O deputado federal Luciano Ducci (PSB-PR) apresentou o projeto de lei que proíbe a criação e oferta de cursos superiores de Enfermagem na modalidade de ensino a distância (EAD).

A iniciativa surgiu com preocupação do  parlamentar com a recente decisão do Ministério da Educação de flexibilizar os requisitos cursos a distância. Ainda de acordo com a proposta, disciplinas e atividades por EAD poderão compor o currículo de curso desde que não ultrapassem 20% de sua carga horária total.

“Não há possibilidade de que um bom profissional da Enfermagem seja integralmente formado na modalidade da educação a distância, que jamais substituirá ou equivalerá a bons cursos presenciais e à formação prática em serviço. Recebi informações do Conselho Regional de Enfermagem do Paraná – Coren/PR, de que os profissionais que saem desses cursos a distância não têm a capacidade de aplicar uma injeção. São profissionais inabilitados que colocam em risco a saúde e a vida da população.”, diz o deputado.

Segundo Ducci, vem sendo amplamente noticiada a realização de debates, em todo o País, promovidos por Conselhos Profissionais e de cursos de graduação da área de saúde, para discutir a oferta de cursos por educação a distância, que nessa área só faz crescer nos últimos anos.
“Não há possibilidade de que um bom profissional da Enfermagem seja integralmente formado na modalidade da educação a distância, que jamais substituirá ou equivalerá a bons cursos presenciais e à formação prática em serviço”, finaliza o parlamentar.

do parlamentar com a recente decisão do Ministério da Educação de flexibilizar os requisitos para a oferta de tal modalidade educacional. Ainda de acordo com a proposta, disciplinas e atividades por EAD poderão compor o currículo de curso desde que não ultrapassem 20% de sua carga horária total.

“Não há possibilidade de que um bom profissional da Enfermagem seja integralmente formado na modalidade da educação a distância, que jamais substituirá ou equivalerá a bons cursos presenciais e à formação prática em serviço. Recebi informações do Conselho Regional de Enfermagem do Paraná – Coren/PR, de que os profissionais que saem desses cursos a distância não têm a capacidade de aplicar uma injeção. São profissionais inabilitados que colocam em risco a saúde e a vida da população.”, diz o deputado.

Segundo Ducci, vem sendo amplamente noticiada a realização de debates, em todo o País, promovidos por Conselhos Profissionais e de cursos de graduação da área de saúde, para discutir a oferta de cursos por educação a distância, que nessa área só faz crescer nos últimos anos.
“Não há possibilidade de que um bom profissional da Enfermagem seja integralmente formado na modalidade da educação a distância, que jamais substituirá ou equivalerá a bons cursos presenciais e à formação prática em serviço”, finaliza o parlamentar.

do parlamentar com a recente decisão do Ministério da Educação de flexibilizar os requisitos para a oferta de tal modalidade educacional. Ainda de acordo com a proposta, disciplinas e atividades por EAD poderão compor o currículo de curso desde que não ultrapassem 20% de sua carga horária total.

“Não há possibilidade de que um bom profissional da Enfermagem seja integralmente formado na modalidade da educação a distância, que jamais substituirá ou equivalerá a bons cursos presenciais e à formação prática em serviço. Recebi informações do Conselho Regional de Enfermagem do Paraná – Coren/PR, de que os profissionais que saem desses cursos a distância não têm a capacidade de aplicar uma injeção. São profissionais inabilitados que colocam em risco a saúde e a vida da população.”, diz o deputado.

Segundo Ducci, vem sendo amplamente noticiada a realização de debates, em todo o País, promovidos por Conselhos Profissionais e de cursos de graduação da área de saúde, para discutir a oferta de cursos por educação a distância, que nessa área só faz crescer nos últimos anos.
“Não há possibilidade de que um bom profissional da Enfermagem seja integralmente formado na modalidade da educação a distância, que jamais substituirá ou equivalerá a bons cursos presenciais e à formação prática em serviço”, finaliza o parlamentar.